Meus queridos,

Falar de plenitude é falar de estar completo, em paz com a vida e consigo mesmo. A falta dessa plenitude causa um vazio responsável por inúmeras doenças da emoção que não nos damos conta em um primeiro momento, sentimos apenas uma falta de ar aqui, um tristeza ali, uma angústia na semana que começa e uma frustração no mês que termina.
No mês passado, escrevi esse artigo para um trabalho específico que apresentei e acho que neste início do mês de Fevereiro, onde estamos voltando as nossas atividades, é o momento certo para que vocês, leitores queridos e assíduos aqui no blog, também possam se beneficiar com essa leitura.

Vamos lá?

Se você trabalha, estuda, vive, respira e tem um grande sonho, sabe que estar no meio de todas essas atividades com apenas 24 horas disponíveis, não é uma tarefa tão fácil assim.
Não são raros os momentos que nossas emoções tornam nossa rotina pessoal ou profissional ainda mais desafiadora. Dúvidas que nos fazem pensar se estamos ou não no caminho certo, angústias por não ser possível ter mais tempo para as coisas simples da vida, frustrações sofridas há algum tempo e difíceis de serem ressignificadas, insistem em aparecer quando não as chamamos.
Em projeção, é fato que o mundo externo nos cobra uma postura racional, objetiva e prática que não permite horários para alinhar nosso próprio sistema de crenças e valores junto as nossas metas. É nessa hora que nos perguntamos, simultaneamente a todas as tarefas, se estamos direcionando nossa vida para um caminho que respeita a nossa subjetividade.
Mas, qual é a direção correta quando não se existe um tempo destinado a escutar a própria essência?
Quando parte desses questionamentos são trazidos à consciência, é natural que sintamos um desconforto que rouba nossa energia física e mental e, pouco a pouco, tenta nos render a um estado paralisante.
Se você já esteve assim ou vivencia esse cenário hoje na sua vida, esse artigo é para você!
O ano de 2014 está começando e essa é a hora para você tomar uma decisão. Por isso, lanço o desafio: Você está disposto a disciplinar-se para tomar contato com seus recursos internos mais poderosos?
Se sim, aqui estão 5 passos para te ajudar a encontrar a plenitude nesse novo ano:

1) Vigie seus pensamentos
Tudo aquilo que sentimos durante o dia foram originados por pensamentos e passaram inevitavelmente pela nossa autorização. Quando no meio do dia somos tomados por sentimentos de tristeza e desânimo é porque tivemos, ainda que rapidamente, um pensamento que nos remeteu imediatamente a estes sentimentos. Portanto, adquira o hábito de vigiar tudo aquilo que você pensa, assumindo o controle por tudo aquilo que é e deseja ser. No início pode ser difícil, afinal, temos nossas polaridades internas que sempre precisam ser equilibradas diariamente, mas a partir do momento que treinar o controle sobre si mesmo, você estará apto a responder as perguntas que faz a si mesmo durante seus diálogos internos constantes. O que passava pela sua mente antes de ter aquela discussão em casa?

2) Dê uma pausa
Se você está insatisfeito com alguma área da sua vida, seja ela: física, familiar, social, intelectual, financeira ou profissional e, mesmo assim, não faz uma pausa para avaliar os seus resultados, lamento te informar que você jamais sairá desse ciclo. É impossível planejar transformações efetivas sem tempo para ouvir a sábia voz interior. Comece hoje a olhar para você devagar, prestando atenção na maneira em que você vive, respira, trabalha, pensa, sonha e toma decisões. Quando começar a prestar atenção em si mesmo, nas suas emoções e nos seus comportamentos você estará frente a frente com a sua própria verdade. Em qual área específica da sua vida precisa planejar mudanças estratégicas?

3) Tenha coragem de olhar para dentro de si
Todo desconforto pode parecer, a princípio, uma parte ruim de nós que não queremos lembrar e muito menos dedicar tempo para desenvolvê-la. Mas, a partir do momento em que vamos nos aproximando desse desconforto, levando para ele nossa consciência e descobrindo a sua intenção positiva, estaremos seguros de que se tratava apenas de uma parte de nós necessitada de ajuda, atenção e luz. Nada é mais importante quanto a certeza de se ter autonomia emocional sobre nós mesmos. Qual é a intenção positiva da sua dúvida ou da sua dor? Você sabe como desenvolver sua autonomia emocional?

4) Cerque-se de pessoas que querem mais da vida
O ambiente que frequentamos os amigos que escolhemos e as nossas decisões diárias tem muito a dizer sobre nós. Cercar-se de pessoas que buscam os melhores resultados da vida significa ter ao lado estímulos para continuar na busca por respostas que completem as nossas próprias necessidades.
Trocar experiências, ouvir aprendizados que ainda não se teve, conhecer diferentes universos e aprender a solucionar problemas que não são seus, certamente irá te ajudar a enxergar novas soluções para os seus questionamentos. Por isso, uma sessão de coaching group ou de terapia de grupo são tão ricas. Quem ouve, aprende! E quem verbaliza, se alivia à medida que seu quebra-cabeça vai fazendo sentido e vai permitindo a construção de bases para o futuro.
Você reserva tempo do seu dia para selecionar bons aprendizados para ouvir?

5) Entenda que a vida é uma constante busca
Estar vivo e ser pleno significa aceitar e confiar no processo natural da vida. Nem sempre haverá dias tranqüilos, mas sua vida não terá apenas sofrimentos e desconfortos emocionais. Aquilo que você buscou até ontem não irá te servir mais hoje e nesse momento você precisa sair em busca de uma nova garantia. Essa é a graça de viver!
Só será possível encontrar a plenitude quando você souber conviver e aceitar suas escolhas, pois a cada amanhecer elas mudarão e será necessário ter maturidade para compreender o próprio processo de inquietação.
É por esse motivo que é tão necessário conquistar a sua autonomia emocional. É com ela que você terá certeza de quem você é e do que você busca. Quando dias menos tranquilos chegarem e com eles os sintomas das doenças da emoção (angústia, falta de ar, tristeza, fadiga), você rapidamente estará apto a criar estratégicas que solucionem essas inquietações. E mais do que isso, você saberá que aqueles sintomas não são parte de você, não estão na sua identidade. São inquietações pontuais que surgiram apenas como forma de chamar sua atenção para uma situação não resolvida para que você então pudesse vigiar e investigar os seus pensamentos, fizesse uma pausa na sua vida, selecionasse as pessoas que você passa parte do seu dia e entendesse que a vida é uma constante busca.
Que bom que hoje é um novo dia e temos a oportunidade de fazer alguma coisa diferente do que fizemos até ontem. Que bom que podemos nos reinventar, nos estranhar e crescer. Enquanto estivermos vivos estaremos em processo constante de construção.

Como você tem vivido a sua vida? De que forma você lida com seus desconfortos e inquietações? O que você tem feito para buscar a plenitude? Por último e não menos importante, você está realmente disposto a mudar?
Pensa sobre isso! Pegue papel e caneta e direcione agora estratégias para você tomar contato com a sua própria plenitude.
Deus tem um plano para você! Mas, para que você enxergue esse caminho é necessário que você se desenvolva, livre-se de você mesmo para que se torne um ser completo. Vamos trabalhar?

VIDA PLENA

Ainda nesta semana eu volto! Tenho várias novidades boas para contar para vocês que aconteceram com o Instituto Diamond nestas férias de Janeiro!

Um bom trabalho interior e um abraço apertado!
Camylla Costa

Todos os direitos reservados (c) 2016 Programação por Sara Silva