Oi oi minha gente, tudo bem?

Hoje eu tive uma notícia que me deixou feliz e emocionada. Se você me acompanha há mais tempo, já sabe que eu parei de comer carnes vermelhas e brancas há pouco mais de 5 anos. No entanto, na minha família, apenas eu tomei essa decisão.

As pessoas me perguntam o motivo de eu ter tomado feito essa opção…E o caso é simples: em 2013 eu comecei a conhecer mais sobre espiritualidade e estudar sobre nossos processos energéticos. Daí, quando comecei a desenvolver a minha consciência energética, eu reparei que sempre que ingeria carnes, eu ficava enjoada e com dores no corpo. Demorei alguns meses para perceber a relação entre esses sintomas e a alimentação. Então, eu parei primeiro com a carne vermelha e 3 meses depois, após ter constatado a minha melhora desses sintomas que estavam me incomodando muito, eu decidi também retirar a carne branca.

Nunca mais senti as dores que sentia, nem o cansaço e aquela sensação de sufocamento que me perseguiam quando eu comia qualquer coisa com carnes.

Dai hoje quando cheguei em casa, minha irmã estava almoçando e me perguntou se eu tinha visto o que estava acontecendo com os animais em Brumadinho. Infelizmente, estão matando animais presos na lama, a tiros!

Ela viu a matéria na internet e decidiu então naquele momento, parar de comer carnes! Foi uma comemoração só lá em casa e minha mãe ainda disse que também pararia dali em diante! Senti uma alegria imensa ao ver que mais 2 pessoas se conscientizaram sobre a sua alimentação. Teoricamente, não há diferença alguma no que os policiais estão fazendo em Brumadinho com o que fazem nos abatedouros para a carne de boi ou o frango chegarem ao prato de tantas famílias. E eu achei perfeita a conscientização que minha irmã teve pela dor…

E esse processo de parar de comer carne é exatamente assim: uns param pelo amor, outros pela dor! O que importa é tomar consciência da alimentação. Eu não sou médica e nem nutricionista…também não sou aquela pessoa chata que fica convencendo todo mundo a parar de comer carne! Para quem quer e quem tem o chamado! É por isso que vou falar agora os prós e contras de iniciar esse processo na sua vida.

Primeiro que por não ser médica ou nutricionista, minha intenção aqui no blog é apenas fazer meu papel de psicóloga e fazer você refletir sobre essa decisão. Ajudar você a perceber que tem como se alimentar com muita qualidade sem ser com carnes. As receitas que passo aqui, são receitas que são testadas por mim e que vejo que dão certo, elas não são prescrição de nada para nenhuma dieta. 

Comemos carnes na maioria das vezes porque não questionamos! Se você parar, olhar para a comida que está no seu prato e pensar da onde ela veio antes de ingerir, você naturalmente vai se tornar mais seletivo com a sua alimentação, seja dentro de casa ou na rua.

O mais difícil quando você decide optar por retirar carnes do seu cardápio é não saber o que vai comer dali para frente. Você acaba ficando viciado naquela idéia errada de que tirou a carne, acabaram as opções. Eu escutei por muito tempo e ainda escuto muita gente falando assim: “Ué, mas você não come carne? Come o que então?” Como se não houvesse nenhum outro tipo de alimento em todas as riquezas naturais do nosso país…E a verdade é que dá pra comer TUDO, exceto a carne!

Aí, você tem que não só tentar explicar isso numa boa para a pessoa sem parecer moralista ou chata e ainda reinventar seu cardápio. Procurar uma boa nutricionista e começar a descobrir receitas novas.

Isso dá um trabalho sim no início e se você não aprender a variar o cardápio sem carnes, vai chegar sim um momento que você vai ficar enjoado das mesmas coisas todos os dias.

Além disso, também é ruim ir a eventos, festas, enfim…Infelizmente ainda é uma minoria que não come carne e é sim difícil encontrar opções sem carne para quem fica muito na rua. Mas, nada que seja impossível com boa vontade e determinação.

O que fará você vencer essas objeções são os pontos favoráveis dos resultados dessa opção que muda sim nossa vida e, particularmente ao meu ver, muda toda a nossa condição energética.

Na minha visão depois desses mais de 5 anos sem comer carne, o mais legal é poder perceber que o nosso paladar pode ser educado com absolutamente tudo. Hoje em dia, só de eu ver uma carne ou frango crus, eu fico muito enjoada. No supermercado, passo bem longe dos freezers e açougues. Se vejo um caminhão descarregando aquelas peças dos bois, passo mal! E, sinceramente, não sinto falta nenhuma de nada que leve carne.

É gostoso perceber que você se acostuma a comer coisas mais simples, vegetais crus, mais folhas, grãos em maior quantidade. É surpreendente quando você vai comer uma lasanha vegetariana e se dá conta de que ela está mais gostosa do que quando você estava acostumado a comer lasanha de carne, presunto e por aí vai…

Quando você olha para o seu prato e vê cores, você vê a vida, você deixa de ver a morte, o sacrifício e isso nutre a nossa energia e a nossa mente.

É surpreendente também quando você vai doar sangue e vê que suas taxas estão tão perfeitas, tanto quanto alguém que come carnes.

No corpo físico, o que você vai sentir é leveza. Para um pouco agora e pensa comigo: Se o animal é morto para chegar até o seu prato, isso significa que a vida dele foi interrompida. Ele devia estar lá bem, com a mãe dele e outros animais como seus amigos. Mas, um certo dia ele entra numa fila e é morto. Antes de morrer, ele com certeza sofreu nem que seja por alguns segundos. Essa energia da dor ou do susto, ficam no corpo dele. Quando aquela carne chega ao seu prato, ela pode estar cozida, temperada e apetitosa, mas a verdade é que aquela carne é um animal morto, na maioria das vezes, morto antes do tempo necessário de vida, morto sem ter escolhido morrer…

Então, se eu acredito em energia e que meu corpo é energia, é impossível eu ficar bem energeticamente nessa condição. Afinal, estou me alimentando com uma energia morta.

As pessoas mais sensíveis podem começar a sentir angústia, cansaço ou até mesmo enjoos quando se alimentam com carnes.

Depois vou falar em outro post sobre as crianças da nova era que estão vindo para a terra e muito novinhas tem dificuldades para se alimentar. Carne então…não comem de jeito nenhum desde bebês! Isso explica tudo e muitas mamães estão desesperadas sem compreender essa mudança de consciência.

Sentir-se bem na maior parte do tempo, comer algo saudável e perceber que aquilo ali não envolveu morte, nem dor, nem sofrimento é algo que pra mim é o maior bem estar em deixar de comer carne. Não se trata de status…Não é sobre estar na moda! É sobre um estilo de vida consciente em que você inclui os animais na esfera da vida….eles fazem parte!

Novamente repito: tome essa decisão de forma consciente. Se você está em algum tratamento de saúde e seus médicos não aconselham essa decisão, tente pelo menos diminuir o número de vezes por semana que você e sua família ingerem algum tipo de carne. Se tomar a decisão de parar imediatamente como a minha irmã hoje, vá ao médico, faça os exames, procure um bom nutricionista para não ter deficiência de nenhuma vitamina.

A conscientização alimentar não precisa ser da noite para o dia, você pode começar a construir isso hoje para no futuro, colher os resultados para você e suas próximas gerações.

Os animais são como nós, merecem viver!!!

Todos os direitos reservados (c) 2016 Programação por Sara Silva