Oi, pessoal!!

Hoje vim bater um papo informal com vocês sobre algo que tenho visto frequentemente por onde quer que eu vá: O grande dilema e a dificuldade que muitas pessoas enfrentam ao assumir sua própria identidade, ou seja, de ser quem verdadeiramente são. Sem medos, nem traumas. Sem dependências, nem inseguranças…

Acontece que, em alguns momentos da nossa vida, nós nos afastamos de nós próprios sem perceber e esse afastamento acaba nos trazendo consequências muito “caras”. O sequestro da nossa subjetividade, da nossa singularidade, começa quase sempre através de uma situação, de uma pessoa ou de um vício, assim, quando nos damos conta, já estamos com medo de ser aquela pessoa que éramos antes.

Quando alguém, alguma situação ou algum vício nos impede de ser quem nós somos, sequestrando a nossa subjetividade, nos resta apenas a insegurança, o medo e o domínio total do nosso eu.

Uma vez impedidos de demonstrar nossa grandeza ao Universo e, através das relações humanas, expressar todo o nosso jeito único de ser; nossa saúde emocional é a primeira a ser abalada. Dessa forma, nossos resultados pessoais e profissionais são rapidamente devastados.
Não há nada pior do que perceber, ainda que de longe, que não estamos sendo a pessoa que podemos ser nesta vida.

Por isso, as perguntas que faço para você hoje neste post do blog são: Em algum momento da sua vida em 2013, você teve sua subjetividade, a sua singularidade roubada, sendo impedido de ser quem você realmente é? Você sabe quais foram essas situações? Mas, principalmente, você está disposto a desvendar todos os seus territórios mentais?

No vídeo desta semana, eu alerto de uma maneira rápida e informal, como você pode começar a buscar situações que te impediram de ser você durante esse ano e, a partir daí, começar fazer uma faxina mental antes de entrar 2014.

Vamos assistir?

Pessoal, não vale a pena viver se não for para exercer toda a nossa singularidade, todo o nosso eu, mostrando ao mundo tudo aquilo que somos enquanto essência. Conhecer-se, entender quem você é, como você age em diversas situações é a posse fundamental do seu eu.

Por isso, pegue agora um papel e uma caneta e comece anotar tudo aquilo que você lembrou enquanto eu falei no vídeo…

Crie o hábito de se conquistar a cada dia, de entender sobre você a cada dia, intensificando e potencializando aquilo que você é…Afinal, ser quem você é pode ser contagiante! Já parou para pensar em quantas pessoas você inspira com a sua singularidade?

Queridos leitores, no próximo ano que já se aproxima, não abra mão de ser você, não entregue na mão de outra pessoa, de uma situação ou de um vício a condição que te leva para uma existência plena e realizada.

Você tem respeitado todo o seu EU?

Pensa sobre isso!

Uma ótima semana,

Grande abraço,

Camylla Costa